17ª Subseção

Criada em 1932, a 17ª subseção da Ordem dos Advogados de São Paulo iniciou suas atividades em 1933, quando formou sua primeira diretoria.

Em 1932, o jornal Diário Nacional publicou a lista de inscrições deferidas em cada subseção. Em Mogi das Cruzes constam os nomes do dr. Gastão Pereira de Souza e dr. Oscar Pacheco de Almeida Prado, sendo este o primeiro presidente eleito.

A ata que descreve a primeira reunião para eleger a primeira diretoria da subseção foi escrita pelo dr. Romulo Pasqualini que na ocasião foi eleito secretário.


Ata Eleição – 1ª Diretoria

1ª Diretoria

Presidente: Oscar Pacheco de Almeida Prado
Secretário: Romulo Pasqualini
Tesoureiro: Faustino dos Santos Cardoso

Inicialmente, as reuniões aconteciam na sala das audiências do Juizado de Direito, Edifício da Cadeia Pública, mais tarde, as atividades passaram a ser realizadas no escritório do presidente e, anos depois, em 1988, foi construída a Casa do Advogado. No entanto, a Casa somente foi inaugurada no ano de 1993, após correções na estrutura da obra. O jornal O Diário acompanhou a inauguração da Casa da Advocacia e da Cidadania de Mogi das Cruzes:

"Erguido em 1988, o prédio foi embargado em seguida, devido a irregularidades na construção que avança 3m66 além do alinhamento da calçada e mais cinco metros do recuo exigido pela administração municipal na aprovação do projeto. Resultado: das inúmeras discussões para ocupar o imóvel, a Prefeitura não liberou o Ocupe-se. Agora, segundo o presidente da 17ª Subseção da OAB em Mogi das Cruzes, Makoto Endo – que deixa o cargo no próximo 31 – os entraves ficaram para trás. (...) Endo adianta que a inauguração é fruto de uma luta travada pela categoria com a meta de beneficiar a comunidade..." O Diário de Mogi, 19 de janeiro de 1993


O Diário de Mogi, 1993

Em 2015, foi inaugurada a CAASP, que está anexada à Casa da Advocacia e da Cidadania local. Esta unidade da CAASP foi construída para atender às prerrogativas dos advogados, que totalizam cerca de 10 mil advogados e estagiários na região do Alto Tietê.

Diretoria Atual – Gestão 2016/2018

Presidente: Marcelo Eduardo Inocência
Vice-Presidente: Milene Torres Godinho Secomandi
Secretário Geral: Humberto Francisco Rosa
Secretária Adjunta: Isabel Delgado
Tesoureiro: Fábio Simas Gonçalves

Galeria de ex-presidentes

1932/1938 - Oscar Pacheco de Almeida Prado
1939/1946 - Romulo Pasqualini
1947/1950 - Oscar Pacheco de Almeida Prado
1951/1952 - Agenor Alves Muniz
1953/1956 - Jair Rocha Batalha
1957/1958 - Cyrillo Cândido Machado
1959/1960 - Jair Rocha Batalha
1961/1966 - José Arouche de Toledo
1967/1968 - Armindo Freire Mármora
1969/1970 - Jair Rocha Batalha
1971/1972 - Mario Isaac Kauffmann
1973/1974 - Euclydes Marcondes
1975/1976 - Paulo Marcondes Carvalho
1977/1978 - Maurício Nagib Najar
1979/1980 - José Pinheiro Franco
1981/1982 - Aloísio Amaro de Lima
1983/1984 - Mario Pereira do Prado
1987/1990 - Francisco Becsi
1991/1992 - Makoto Endo
1993/1994 - Luiz Sergio Marrano
1995/1997 - Ozair Alves do Vale
1998/2002 - José Beraldo
2002/2003 - Joaquim Rodrigues Guimarães
2004/2006 - Cleusa Lavoura Lima
2007/2009 - Carlos Barbará
2010/2012 - Marco Antonio Pinto Soares Junior
2013/2015 - Marcelo Eduardo Inocêncio

Um pouco mais de história...

Isaac Grinberg

Historiador nascido em Mogi das Cruzes em 1922, Isaac Grinberg iniciou os estudos em direito na Faculdade de Direito do Largo São Francisco no início dos anos 1940, quando também se dedicava ao jornalismo.

Trabalhou no jornal O Dia e, tempos depois, deixou a faculdade para se dedicar ao jornal. Redigiu e ampliou o jornal "O Liberal" de Mogi das Cruzes e em 1946 publicou a "Folha de Mogi".

Isaac Grinberg foi também redator da agência de notícias Asapress, no Rio de Janeiro e em 1948 trabalhou no jornal "O Globo".

No início dos anos 1950, Grinberg retorna para Mogi e retoma a Folha de Mogi no qual lançou o tablóide Mogi Esportivo.

O historiador foi figura importante para manter e compartilhar a memória da cidade de Mogi das Cruzes.

Através de pesquisas em arquivos e fotografias antigas, Isaac Grinberg escreveu livros sobre a origem da cidade e remonta a história do local.

No livro "História da Justiça em Mogi das Cruzes", o historiador insere a relação dos magistrados e membros dos ministérios públicos assim como remonta a memória da 17ª subseção da Ordem dos Advogados até o ano de 1979.

O jornal Nossa Voz publicou em 1961 uma nota sobre o livro "Histórias de Mogi das Cruzes":

"Um largo esforço de pesquisa, abrangendo quatro séculos de vida histórica, política, econômica e social..." Nossa Voz, 1961

Isaac Grinberg faleceu em 2000 e deixou uma valiosa contribuição à memória de Mogi das Cruzes e à história da OAB - Mogi das Cruzes.

Mogi das Cruzes e a Revolução de 1932

Em 1932, quando o país era cenário de intenso conflito político e ideológico, nascia oficialmente a Ondem dos Advogados e simultaneamente as suas vinte e oito subseções.

A data 9 de julho de 1932, início da revolução, é reconhecida como símbolo das lutas democráticas e revolucionárias e a cidade de Mogi das Cruzes participou deste período histórico considerado o maior movimento cívico do Estado de São Paulo.

Em Mogi das Cruzes mais de duzentos voluntários participaram da revolução como soldados durante os confrontos e, ainda, a cidade contribuiu com alimentos e remédios entre outros materiais que deram assistência aos três meses de conflitos.

O jornal Diário Nacional publicou em julho 1932 nota sobre as cidades do interior de São Paulo que contribuíram para as causas constitucionalistas da época:

"Mogy das Cruzes também dará o seu apoio material à causa paulista e brasileira. A Prefeitura está organizando um corpo de voluntários, em numero de trezentos, para constituir o 1º B.C. Mogyano..." Diário Nacional, 1932