9ª Subseção

Sediada na cidade de Pirassununga, a 9ª subseção da OAB/SP foi oficialmente criada em 1932 e iniciou suas atividades em 1933 quando elegeram a primeira diretoria presidida pelo dr. Antônio Pereira de Abreu Junior.

Inicialmente, a 9ª subseção abrangia as comarcas de Araras, Descalvado, Palmeiras, Santa Rita, Leme e Porto Ferreira.

1ª Diretoria

Presidente: Antônio Pereira de Abreu Junior
Vice-presidente: Euclydes de Lima
Secretário: Marcilio dos Santos
Tesoureiro: Domingos de Castelo Branco

No ano em que a primeira gestão da 9ª subseção estava sendo concluída, o então presidente dr. Antônio Pereira de Abreu Junior faleceu. O jornal Correio Paulistano publicou nota sobre o advogado:

"Faleceu, nesta capital, o dr. dr. Antônio Pereira de Abreu Junior, advogado em Pirassununga, presidente da Ordem dos Advogados 9ª sub-secção. O extinto, que era natural de Goiás, contava com 65 anos de idade. Era filho do desembargador Dr. dr. Antônio Pereira de Abreu e da sra. D. Eulalia Preira de Abreu" Correio Paulistano, 1940

A diretoria seguinte foi composta pelo dr. João de Deus Menna Barreto de Barros Falcão como presidente. A eleição foi assim noticiada pelo jornal Correio Paulistano em 1940:

"Estando vaga a presidência da 9ª sub-secção, com sede em Pirassununga, o conselho, em escrutínio secreto, elegeu o dr. João de Deus Menna Barreto de Barros Falcão para esse cargo..." Correio Paulistano, 1940

No início, as reuniões da 9ª subseção eram realizadas em salas do Fórum ou em locações que serviram como sede para a Ordem de Pirassununga.  

A atual Casa do Advogado foi inaugurada em 2001 sob a gestão do dr. Sidney Sebastião Landgraf. O local recebeu o nome do ex-presidente da subseção, dr. José Francisco Ribeiro, tido como patrono.

Em 2014, a OAB/SP e o projeto OAB-Concilia inauguraram uma nova Sala do Advogado no juizado especial cível de Pirassununga. Essa Sala foi nomeada como "Eda Maria Andreeta Carvalho", homenageando uma das advogadas pioneiras no exercício da profissão em Pirassununga.





Diretoria Atual: 2016/2018

Presidente: Sidney Sebastião Landgraf
Vice-Presidente Laércio Jesus Leite
Secretário-Geral Juliana Aparecida dos Santos Barbosa
Secretário-Adjunto Sonia Regina Grigoletto Arruda dos Santos
Tesoureira Sandra Nice Dornela Benetati

Galeria de ex-presidentes

1933/1935 - Antônio Pereira de Abreu Junior
1935/1937 - Antônio Pereira de Abreu Junior
1937/1939 - Antônio Pereira de Abreu Junior
1939/1941 - João de Deus Menna Barreto de Barros Falcão
1941/1943 - João de Deus Menna Barreto de Barros Falcão
1943/1945 - Benedito Armando Teixeira Paes
1945/1947 - Benedito Armando Teixeira Paes
1947/1949 - Celso Augusto de Assumpção
1949/1951 - Celso Augusto de Assumpção
1951/1953 - Celso Augusto de Assumpção
1953/1955 - Celso Augusto de Assumpção
1955/1957 - Celso Augusto de Assumpção
1957/1959 - Celso Augusto de Assumpção
1959/1961 - Oscar Ulson
1961/1963 - Celso Augusto de Assumpção
1963/1965 - Celso Augusto de Assumpção
1965/1967 - Celso Augusto de Assumpção
1967/1969 - Celso Augusto de Assumpção
1969/1971 - Celso Augusto de Assumpção
1971/1973 - Ivo Xavier Ferreira
1973/1975 - Ivo Xavier Ferreira
1975/1977 - Ivo Xavier Ferreira
1977/1979 - Orlando Alves Ferraz
1979/1981 - Orlando Alves Ferraz
1981/1983 - Orlando Alves Ferraz
1983/1985 - José Francisco Ribeiro
1985/1987 - Arnaldo Delfino
1987/1989 - Osvaldo Pinto de Campos
1989/1991 - Cloves Huber
1991/1993 - Cloves Huber
1993/1995 - Luiz Gonzaga Neves Melo Júnior
1995/1997 - Jorge Luis Lourenço
1998/2000 - Luiz Gonzaga Neves Melo Júnior
2001/2003 - Sidney Sebastião Landgraf
2004/2006 - Luiz Henrique Druziani
2007/2009 - Edvaldo dos Santos Leal
2010/2012 - Valter Tadeu Camargo de Castro
2013/2015 - Sandra Valéria Vadalá Müller

Em 2012 quando completava 80 anos, a 9ª subseção homenageou os advogados que participaram da história da subseção de Pirassununga. Em memória, a placa com os nomes destes advogados foi instalada na entrada principal da Casa do Advogado.

Um pouco mais de história...

Academia da Força Aérea

A Academia da Força Aérea, instituição destinada à formação em nível superior de oficiais aviadores, intendentes e de infantaria, está localizada na cidade de Pirassununga desde 1971. No entanto a instituição, que no passado possuiu outras nomeações, foi originalmente fundada na cidade do Rio de Janeiro.

O jornal Correio Paulistano publicou, em 1940, nota remontando a história do surgimento da Escola de Aviação brasileira:

"A primeira iniciativa de fundação de uma Escola de Aviação no Brasil, coube a uma companhia ítalo-brasileira, da qual faziam parte os pilotos Gino Jean Felice e Ambrosio Garagiola. A 2 de fevereiro de 1914, foi solenemente inaugurada a Escola Brasileira de Aviação, que teve, no entanto, uma vida efêmera. (...). As crescentes dificuldades opostas pela guerra europeia que impediam que fosse importado o material de que necessitava para o seu equipamento determinavam em grande medida, que a Escola Brasileira de Aviação fosse obrigada a encerrar suas atividades (...). Anos mais tarde, ainda durante a guerra, sob iniciativa do tenente Ricardo Kirk, era fundada, no Campo dos Affonsos, outra escola de aviação, a Escola do Aéro Clube do Brasil. Como a Escola Brasileira de Aviação, o estabelecimento do Aéro Clube do Brasil também teve uma vida muito curta (...). Finalmente a 10 de julho de 1919, era fundada a Escola de Aeronáutica do Exército (...) funcionando num pequeno pavimento no campo dos Affonsos, foram começados com grande enthusiasmo os trabalhos de levantamento de ‘hangars’ e da construção das instalações necessárias..." Correio Paulistano, julho de 1940

Pirassununga e a Revolução de 1932

Em 1932, quando a Ordem dos Advogados de São Paulo emergia junto às suas vinte e oito subseções, o Estado paulista se encontrava em um intenso contexto de contestações políticas as quais reivindicavam uma nova Constituição e um Estado democrático de direito.

O jornal Diário Nacional ressaltou, em publicações, o empenho das cidades do interior de São Paulo para as causas constitucionalistas da Revolução de 1932:

"O movimento constitucionalista, no Interior do nosso grande Estado, tal como na capital, encontrou terreno propício para se desenvolver (...). Em todas as cidades o enthusiasmo é geral e em todas elas o voluntariado corre em massa, para pegar em armas ao lado da grande causa. (...) Pirassununga, 15 (Diário Nacional) – Em carros especiais, partiu hontem para S. Paulo a quarta leva de voluntários desta cidade. Esse batalhão conta com 250 homens. " Diário Nacional, 19 de julho de 1932

"De Pirassununga chega um batalhão de voluntários – O oferecimento constante de voluntários, para lutarem pela causa constitucionalista, observa-se, todos os dias, numa ordem crescente de admirar. De todos os lugares de S. Paulo, mesmo dos mais longínquos recantos, chegam a esta capital grupos dispostos a cooperar no movimento que deseja reintegrar o pais dentro da lei. " Diário Nacional, julho de 1932


Batalhão Paulista Pirassununga - Acervo do Centro de Memória do Bixiga