24ª Subseção

Em 1932, em Sorocaba, nascia a 24ª subseção da OAB/SP. Em abril daquele ano, o Jornal Diário Nacional acompanhou o processo de inscrições deferidas. Na lista de inscritos de Sorocaba está o Dr. Diogo Moreira Salles, que mais tarde foi eleito como primeiro presidente daquela subseção.


Diário Nacional, 1932

A primeira diretoria formou-se em uma reunião realizada na sala de audiência do fórum, teve participação do juiz José Rabello de Aguiar Vallim e dos advogados da comarca. A primeira diretoria da 24ª subseção foi composta por:

1ª Diretoria
Presidente: Diogo Moreira Salles
Vice-presidente: Achilles de Almeida
Secretário: Cypriano da Silva Camargo
2º secretário: Luiz Bicudo Junior
Tesoureiro: Américo Augusto Figueiredo

A 24ª subseção seguiu sob presidência de Diogo Moreira Salles até 1940, ano em que o advogado faleceu. Em sua reeleição, o jornal Correio Paulistano publicou, em 1939, nota sobre a composição da diretoria do período de 1939 a 1941:

"Foi empossada a diretoria da 24ª subseção da Ordem dos Advogados, com sede em Sorocaba e que terá exercício durante o biênio de 1939-1941. Essa diretoria, eleita em pleito há pouco realizado, está assim constituída: presidente, dr. Diogo Moreira Salles; vice-presidente: dr. Luiz Bicudo Junior; tesoureiro: Affonso Vergueiro; 1º secretário, dr. Cypriano da Silva Camargo; 2º secretário, dr. Lauro Rolim." Correio Paulistano, 1939


Correio Paulistano, 1939

No início as reuniões da 24ª subseção aconteciam em uma sala do Fórum de Sorocaba. No entanto, devido ao aumento de advogados militantes na cidade, era fundamental que a seção possuísse uma sede própria. Dentre os advogados que trabalharam para que a entidade adquirisse a Casa do Advogado, estava a dra. Heloísa Dini, eleita presidente da subseção em 1985 e na época membra da Comissão da Construção da Casa do Advogado.

Em dezembro 1983, durante a presidência de Américo de Carvalho Filho, foi inaugurada a Casa do Advogado de Sorocaba. A inauguração da sede foi anunciada pelo jornal Cruzeiro Sul em dezembro de 1983:

"O Conselho Seccional de São Paulo e a 24ª Subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil em Sorocaba inauguram às 18 horas de hoje, a Casa do Advogado, realização de um velho sonho da classe que, unida, contribuiu para que toda a comunidade fosse premiada com o resultado dos esforços comuns" Cruzeiro Sul, 1983

"O presidente da subseção da OAB Sorocaba define a conclusão das obras da Casa do Advogado como sendo um sonho de toda a classe, que agora é finalmente realizado: ‘Sem dúvida alguma que a Casa do Advogado representará um ponto de encontro dos advogados sorocabanos, enfim, servirá para se promover um congraçamento permanente entre a nossa classe. Com relação a promoções sociais, as dependências da Casa possuem condições suficientes para que isto possa acontecer de maneira salutar (...)’, explicou Américo de Carvalho Filho." Cruzeiro Sul, 1983

Em 2002, a subseção de Sorocaba instalou seu Tribunal de Ética e Disciplina (TED), sendo o nono a entrar em funcionamento no Estado de São Paulo. Naquele ano, a subseção já possuía um núcleo da Escola Superior de Advocacia (ESA) e unidade da Caixa Assistência dos Advogados (CAASP). O jornal Cruzeiro Sul acompanhou em 2002 a instalação Tribunal de Ética e Disciplina afirmando que:

"Além de facilitar o atendimento aos profissionais, o Tribunal também deverá abrir campo para que estudantes de Direito possam cumprir o estágio (...) na cidade em que estudam..." Cruzeiro Sul, 2002

 

Diretoria Atual – Gestão 2016/2018:
Presidente: Márcio Rogério Dias
Vice-presidente: Márcio Leme
Tesoureiro: Ernesto Bete
Secretária adjunta: Flávia Mendes

Galeria de ex-presidentes

1933/1935 - Diogo Moreira Salles
1935/1937 - Diogo Moreira Salles
1937/1939 - Diogo Moreira Salles
1939/1941 - Diogo Moreira Salles
1941/1943 - João Machado de Araújo
1943/1945 - João Machado de Araújo
1945/1947 - João Machado de Araújo
1947/1949- João Machado de Araújo
1949/1951 - João Machado de Araújo
1951/1953 - João Machado de Araújo
1953/1955 - João Machado de Araújo
1955/1957 - Álvaro Baddini
1957/1959 - Álvaro Baddini
1959/1961 - Álvaro Baddini
1961/1963 - Álvaro Baddini
1963/1965 - João Francisco Martins
1965/1967 - José Moysés Betti Filho
1967/1969 - Antônio Santa"Anna Marcondes Guimarães
1969/1971 - Antônio Santa"Anna Marcondes Guimarães
1971/1973 - Américo de Carvalho Filho
1973/1975 - Américo de Carvalho Filho
1975/1977 - Américo de Carvalho Filho
1977/1979 - Américo de Carvalho Filho
1979/1981 - Américo de Carvalho Filho
1981/1983 - Américo de Carvalho Filho
1983/1985 - Américo de Carvalho Filho
1985/1987 - Heloísa Dini
1987/1989 - Mário H. Padovani
1989/1991 - Antônio C. Delgado Lopes
1991/1993 - Antônio C. Delgado Lopes
1993/1995 - Antônio C. Delgado Lopes
1995/1996 - José Eduardo Cenci
1996/1997 – Geraldo Ferreira Alves
1998/2000 - Joel de Araújo
2001/2003 - Joel de Araújo
2004/2006 - Antônio C. Delgado Lopes
2007/2009 - Antônio C. Delgado Lopes
2010/2012- Alexandre Ogusuku
2013/2015 - Alexandre Ogusuku

Um pouco mais de história...

Diogo Moreira Salles

Nascido em 7 de agosto de 1835 em São Carlos, no interior de São Paulo o sobrinho de Campos Salles e filho de Jorge Washington de Salles e Mercedes Moreira Salles, estudou direito na Faculdade de Direito do largo São Francisco na qual tornou-se bacharel em 1918. Diogo Moreira Salles atuou como promotor público em Piedade e Sorocaba, onde fundou e dirigiu o jornal Correio de Sorocaba.

Retornou à promotoria em 1929, onde recomeçou suas atividades passando pelas cidades de Brotas, São Luiz do Paraitinga, Itapetininga e Sorocaba. Socialmente, apoiou operários, orfanatos e a Vila de Velhinhos. Diogo Moreira Salles foi o primeiro presidente eleito da subseção de Sorocaba da OAB/SP, presidindo até 1940, quando faleceu.  

O jornal Cruzeiro do Sul publicou no dia 27 de março de 1933 uma nota sobre a primeira eleição da presidência da 24ª subseção Sorocaba: 

"Realizou-se hontem no edifício do Fórum, a eleição da directoria da 24ª sub-secção de S. Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (...) procedida a apuração verificou-se o seguinte resultado: presidente dr. Diogo Moreira Salles 8 votos; vice, dr. Achilles Almeida..." Cruzeiro Sul, 1933

Dra. Heloísa Dini

O ano de 1985 foi histórico para a subseção de Sorocaba. Naquele ano, a entidade elegeu para o cargo de presidência a dra. Heloísa Dini, primeira mulher a presidir a subseção ao lado das advogadas Maria Helena do Amaral Camargo Dini, Ione Simão e Sheila da Silva Monteiro, que compunham a Chapa-Unidade.

No ano da eleição, em 1984, o jornal Cruzeiro do Sul publicou nota sobre as chapas que se candidataram à diretoria, estando entre elas a de Heloísa: 

"As eleições para a escolha da nova diretoria da 24ª subseção da OAB/SP e Seccional/SP dar-se-ão no dia de hoje, no horário das 10:00 às 16h00 (...) A Chapa-Unidade esclarece que as suas integrantes são advogadas há longo anos, vivenciando no cotidiano todas as necessidades dos advogados, em todos os seus estágios. A Dra. Heloísa Dini que faz parte da diretoria da Associação dos Advogados de Sorocaba, mantém intensa atividade profissional, cultural e de apoio em favor dos colegas, sendo sua atuação elogiada pelos luminares de nossa justiça, em todo país..." Cruzeiro Sul, 7 de novembro de 1984 

Em novembro de 1984, o jornal Cruzeiro Sul anunciou o resultado das eleições da subseção de Sorocaba, trazendo a chapa de Heloísa Dini na capa. A atuação da nova diretoria daquele biênio teve início em 1985.

"A Chapa ‘Unidade’, presidida pela advogada Heloisa Dini e integrada só por mulheres foi vencedora das eleições para a subseção da OAB Sorocaba, num pleito muito disputado. A vitória só foi decidida ao final da apuração, ontem à tarde, quando a Chapa ‘Unidade’ conseguiu três votos a mais que os dados à Chapa ‘Realização’, presidida pelo advogado Antônio Gomes Júnior. É a primeira vez na história jurídica do país que uma chapa só de mulheres assume a direção de uma subseção da OAB, entidade tradicionalmente dirigida por homens. As eleições realizaram-se na Casa do Advogado, num clima de festa e intensa disputa eleitoral. " Cruzeiro Sul, 8 de novembro de 1984

O ano de 1932  

Em 1932, quando emergia oficialmente a Ordem dos Advogados e simultaneamente suas vinte e oito subseções, o país se encontrava imerso em conflito que envolvia disputas políticas e o desejo popular de haver uma nova Constituição pautada na liberdade e democracia, que caracterizasse um Estado democrático de direito.  

Esse momento histórico ficou conhecido como a Revolução de 1932 e a cidade de Sorocaba contribuiu ativamente pelas causas constitucionalistas. Batalhões de voluntários se organizaram para participar dos combates, o jornal Diário Nacional publicou no dia 14 de julho, cinco dias após a eclosão da Revolução, matéria sobre um grupo de voluntários: 

"Esses moços, que se chamam Antunes de Almeida, Alberto Cattuzo, Rubens Prestes, Pedro de Oliveira, José Dambrozi, João Lisboa, George Pilar, José Abilio e Manoel Soares (três irmãos), Germinar Signorelli, José Antônio de Oliveira, José Rosas Simões, Francisco Siqueira, Silvio Rocha e Arnaldo Fazano, informaram-nos que em Sorocaba reina grande enthusiasmo devendo ter havido à noite um grande comício para que se formasse um batalhão de voluntários da invicta cidade de Sorocaba." Diário Nacional, 1932


Diário Nacional, 1932

No dia 29 de julho, o mesmo jornal publicou matéria sobre as contribuições materiais de Sorocaba para a Revolução, ressaltando: 

"No edifício onde funciona a secção feminina da Escola Profissional foi instalada uma grande officina para a confecção de roupas para os nossos bravos soldados. Ali, irmanados, funcionários, mostras e alumnas trabalham incessantemente, até altas horas da noite, costurando fardas (...), toalhas, aventares e outras peças necessárias aos postos de Saude e Hopitaes dos ‘fronts’" Diário Nacional, 1932


Diário Nacional, 1932

Estrada de Ferro Sorocabana 

A linhas ferroviárias possuíram seus tempos áureos principalmente no século passado, sendo motivo para o surgimento de novas cidades e o desenvolvimento econômico e social de outras. A gigantesca malha ferroviária que se ramificava por todo o Estado de São Paulo consta como um dos principais meios de transporte utilizado para a escoação de produtos vindo da agricultura como o café. Além disso, as linhas dinamizavam a comunicação entre cidades interioranas e a capital.  

Dentre as linhas ferroviárias, estava a famosa Estação de Ferro Sorocabana, criada em 1870 por empresários sorocabanos liderados por Luiz Matheus Maylasky. A construção do primeiro trecho de linha ocorreu dois anos depois sendo aberto somente em 1875, em Sorocaba. A linha que ligava Sorocaba à São Paulo foi noticiada pelo jornal O Estado de S. Paulo dias antes da inauguração: 

"De ordem da Directoria da Companhia Sorocabana faço publico que está marcado o dia 10 do corrente para a inauguração do trafego em toda a extensão da linha desde Sorocaba até S. Paulo..." – J.T. Cavalleiro, O Estado de S. Paulo, 1875 


O Estado de S. Paulo, 1875 

Considerada uma das estradas de ferro mais importante do Estado, ao longo dos anos, a Sorocabana passou por diversos prolongamentos construindo uma extensão ferroviária pelo interior e atingindo no seu ponto mais distante, o Rio Paraná. O mapa a seguir, de 1945 demonstra a expressiva dimensão da linha:

A Sorocabana desempenhou papel fundamental no desenvolvimento das cidades do oeste paulista. Além de sua extensão, a EFS construiu vários ramais como o de Itararé, conectando a rede ferroviária paulista às ferrovias do Paraná, no sul do Brasil. A linha estava ativa até meado dos anos 2002.


Estação em Sorocaba