7ª Subseção

No ano de 1932 nasciam as primeiras 28 subseções da Ordem dos Advogados de São Paulo. A 7ª foi instalada na cidade de Barretos. No mesmo ano, o jornal Diário Nacional relacionava os nomes dos inscritos nas subseções. O advogado Pedro da Silva Pereira, que viria a ser o primeiro presidente da subseção, em 1933, consta como inscrito na comarca de Bebedouro.

No ano de 1983, durante a posse do dr. Luiz Jorge como presidente, a OAB Barretos anunciou a idealização e futura construção da Casa do Advogado. Na documentação histórica da subseção consta a descrição desta reunião, realizada no Fórum Conselheiro Lafaiete em Barretos:

Um ano após a posse foi inaugurada a primeira sede da Casa do Advogado de Barretos. O jornal O Diário acompanhou este momento:

"Edificada com apoio da OAB São Paulo, localizada junto ao Rochão, a Casa do Advogado de Barretos conta com sala de debates, biblioteca, escritório (...). Segundo o dr. Luiz Jorge, a inauguração da Casa do Advogado é um marco importante para toda a comunidade barretense" O Diário, 11 de agosto de 1984

"O dr. Luiz Jorge, presidente da OAB-Barretos, entregou ontem oficialmente a Casa do Advogado, perante membros da regional paulista da Ordem, juízes, bacharéis e autoridades municipais. Em seu pronunciamento, o presidente agradeceu a colaboração da OAB-São Paulo, os poderes constituídos barretenses e a imprensa..." O Diário, 12 de agosto de 1984

Além da Casa, a OAB Barretos possui salas de apoio localizadas no Fórum, na Vara do Trabalho e na Vara Federal para melhor atender às prerrogativas da classe.

Diretoria Atual:

Presidente: Leticia De Oliveira Catani
Vice-Presidente: Belisario Rosa Leite Neto
Secretária Geral: Jacilene Paixâo Girardi
Secretário Adjunto: Marcio Antonio Domingues
Tesoureiro: Fernando Henrique Alves Gontijo

Galeria de ex-presidentes

1933/1943 - Pedro da Silva Pereira
1943/1959 - Altair Rios
1959/1963 - Pedro Eduardo de Godoy Pereira
1963/1969 - Altair Rios
1969/1973 - Kalil Sales
1973/1975 - Mélek Zaiden Geraige
1975/1983 - Aloysio Marcondes Barbosa Ferreira
1983/1985 - Luiz Jorge
1985/1989 - Kalil Sales
1989/1991 - Mélek Zaiden Geraige
1991/1994 - João Bosco Alves
1995/1997 - Samir Abrão
1998/2003 - João Bosco Alves
2004/2006 - Roberto Arutim
08/2006 à 12/2006 - Renato de Souza Sant’Ana
2007/2009 - Julio Eduardo Addad Samara
2010/2012 - Merhej Najm Neto
04/2012 à 12/2012 - Luciana Ribeiro Pena
2013/2015 - Gerson Luiz Alves de Lima

Um pouco mais de história...

Barretos em 1932

Em 1932, quando oficialmente emergia a Ordem dos Advogados de São Paulo e simultaneamente suas 28 subseções, o país se encontrava em um intenso conflito armado, considerado o maior movimento cívico do Estado. A data de 9 de julho, tida como início da revolução, é reconhecida como símbolo das lutas em prol da liberdade e da democracia.

O jornal Diário Nacional publicou, em julho daquele ano, nota sobre a participação da cidade de Barretos com mais de trezentos soldados voluntários e, em agosto, sobre as contribuições donativas:

"Reina grande enthusiasmo aqui pela victoria da revolução constitucionalista. O alistamento está intensificado para a formação do Batalhão Barretense. Até hoje se inscreveram trezentos e cinquenta voluntários, crescendo o número a cada instante..." Diário Nacional, julho de 1932

"... a contribuição de Barretos não se restringiu somente ao fornecimento de soldados para a luta: foi muito além. (...). É consideravelmente vultosa a contribuição de Barretos em donativos. Haja vista algumas centenas de bois e de animais de montaria oferecidos diretamente ao governo do Estado pelos fazendeiros deste município, donativos que representam valor superior a uma centena de contos de réis..." Diário Nacional, agosto de 1932

Grêmio Literário e Recreativo de Barretos

Fundado em 1910 por membros das esferas políticas, religiosas e culturais da cidade, o Grêmio era o local de recepção de pessoas importantes que visitavam a cidade. Poetas como Coelho Neto, Menotti Del Picchia e Martins Fontes, políticos como Armando Sales de Oliveira, Washington Luís e Getúlio Vargas visitaram o Grêmio. O local também contava com uma vasta biblioteca de livros de romance, história, ciência e religião.

O Grêmio Literário e Recreativo de Barretos já sediou as reuniões da 7ª subseção da Ordem dos Advogados – Barretos.


Sede do Grêmio Literário e Recreativo de Barretos na década de 1970

Os independentes

No início da década de 1950, uma das principais tradições da cidade de Barretos se iniciava. Naquele ano, a cidade já possuía como principal poder econômico a pecuária e, este fato, estimulava o município a tornar-se passagem dos boiadeiros e peões encarregados de transportar o gado que, naquela época, era realizado por meio de comitivas.

Dentro deste contexto havia um grupo de rapazes que se dominavam "Os Independentes", que deram início à tradicional Festa do Peão de Barretos. Os membros deste grupo até os dias de hoje são os diretores deste evento que é considerado o maior de montaria do Brasil.

O logotipo da primeira Festa do Peão foi desenhado por Geraldo Stuart e publicado no jornal Correio de Barretos, em 1956.